11 de abr de 2009

Gente estranha


E pra comemorar minha aposentadoria, orgia na minha casa!

Estranhos são os outros, não sei de nada disso. É o que costumamos pensar quando encaramos algum problema fora do comum, quando o comum significa a cartilha de bom comportamento do homem moderno. Eu, que sou moderno mas não sou sério, vi esse caso do Adriano e pensei: o ser humano é realmente algo incompreensível.

Não é comum mesmo um jogador de futebol alegar problemas de depressão quando sua carreira é um sucesso, quando se tem vários prêmios individuais, reconhecimento. A explosiva combinação entre vícios e poder ter vícios fez de Adriano um refém. É bom lembrar que esse “poder ter vícios” é apenas de ordem financeira.

Muitos dizem que ele não teve educação, preparo. Ok. Mas no momento seguinte, vem a tese de que isso advém da sua criação no morro, Vila Cruzeiro. Será mesmo? Outros falam que quem tem tudo na mão não pode ter depressão, que é coisa de fresco. Será mesmo? Só chego à conclusão de que tudo é tão específico que só falando com o psicólogo do Adriano pra saber mesmo.

Aliás, este é apenas um post-abre-debate. Não tenho conhecimentos para dar pitacos, e não quero encher o saco com minhas divagações esquerdinhas. É como um clamor por alguma opinião. Por enquanto, o filósofo Adriano está no mesmo patamar do revolucionário Kurt Cobain ou do malucão Joaquim Phoenix ou de Vincent Van Gogh. Se Van Gogh só foi famoso depois de sua morte, Cobain e Phoenix são exemplos de que fama não é exatamente sinônimo de “tudo-como-deve-ser”. Depressões, maluquices, insatisfações, tudo inerente a quem tem sua vida virada de cabeça pra baixo por, quem diria, a mídia. Ou qualquer outra coisa, os malucos são eles e eles que sabem seus problemas.

A questão é: pare e pense...dá pra entender?

Peraí que eu tô refletindo


Adriano tem dinheiro, tem fama, tem prestígio, talento, “conhece” muitas mulheres e passa por isso. Eu infelizmente não tenho nada disso( a parte das mulheres eu não falo nada, pois não quero perder uma parte preciosa dos meus cerca de oito leitores), então não posso dizer como é ter tudo isso e entrar numa depressão.

Mas juro que quando chegar lá eu conto!

5 comentários:

Saulo disse...

Também não entendo muito esse Adriano.
É um cara problemático e o pior, tem tudo na sua vida.
Bom, a depressão é uma doença desgraçada e falo isso porque na minha família acontece isso.
O Adriano tem que refletir e voltar a fazer aquilo que mais gosta que é jogar futebol para acabar com a depressão.

David "Jericho" Pereira disse...

Boas, vim por este meio pedir-vos para que adicionassem o meu blog de futebol aos vossos links sff

http://portal-futebol.blogspot.com/

O nome do blog é Portal Futebol


Depois quando adicionarem comuniquem-no no nosso blog para que nós também vos adicionemos

Saudações!

Caio Lemos disse...

Acho que todos estão julgando muito o Adriano. Rola muita hipocrisia na hora de falar de um "favelado", mas se fosse o Kaká parando de jogar aos 27, iam achar o máximo.
Entendo os "argumentos" de quem chama ele de imbecil, só acho exagero e falta de tato.

Rafael Garça disse...

vai entender, né?

daqui a pouco ele volta, podem apostar!

Etchatz disse...

Muito bom, canhoto. Sempre gosto de sua filosofia de botequim. Queria ver o resultado final do prêmio Anderson Leonardo.